PortugalPride.org In EnglishIn EnglishEn EspañolEn Español
 Índice :: el gê bê tê 2003 :: Manifesto 2003

clique aqui para versão pronta a imprimirNão Diga que Não Vê
Manifesto 2003
Hoje estamos aqui – e todos os anos somos mais – para celebrar o aniversário de Stonewall: a primeira vez que os LGBT, a uma só voz, disseram: Não! Não à discriminação, não ao preconceito, não à violência. Hoje estamos aqui para lutarmos com a nossa visibilidade contra quem finge que não nos vê. Porque todos os dias ainda enfrentamos a homofobia (no emprego, na família, na televisão, na imprensa, no poder político), hoje estamos aqui para dizer NÃO!

DIZEMOS NÃO À DISCRIMINAÇÃO NO TRABALHO!
Devido à insistência do nosso movimento, o governo informou que vai aplicar a Directiva Europeia para a igualdade no emprego e incluir explicitamente no novo Código de Trabalho a não discriminação com base na orientação sexual. Mais: face a uma denúncia, será o empregador a ter que provar que não discriminou. Mas esta vitória não pode escamotear todas as disposições deste Código do Trabalho que ainda afectam negativamente LGBT, mulheres, imigrantes e outr@s, e precarizam o trabalho de tod@s no desrespeito por direitos adquiridos na democracia portuguesa pelo que continuaremos combativos e vigilantes.

DIZEMOS NÃO AO PRECONCEITO!
Com que outro fundamento, que não o preconceito, não somos reconhecidos como família? Com que outro fundamento, que não o preconceito, não se permite o registo das uniões de facto? Com que outro fundamento, que não o preconceito, nos é negada a participação nos órgãos consultivos do Estado? Com que outro fundamento, que não o preconceito, apoia o Governo nas escolas o trabalho dum movimento que defende a abstinência sexual como método contraceptivo? Com que outro fundamento, que não o preconceito, se limita a escolha das mulheres nos seus direitos sexuais e reprodutivos?

DIZEMOS NÃO A TODAS AS FORMAS DE VIOLÊNCIA!
Dizemos não, e sempre dissemos não, a todas as formas de abuso sexual. Várias pessoas aproveitaram casos recentes mais mediatizados para promover a confusão entre homossexualidade e abuso sexual de menores. Alguma imprensa portuguesa cedeu o seu espaço para a divulgação destas posições – e silenciou as nossas. A essas pessoas e a essa imprensa, dizemos também claramente NÃO: NÃO à homofobia; NÃO ao aproveitamento chocante de factos chocantes para a promoção dessa homofobia; NÃO ao abuso do poder mediático para a promoção do ódio e da discriminação.

Em solidariedade e cooperação com os movimentos sociais e os participantes do Fórum Social Português, lutamos pela educação para a cidadania, pela promoção da diversidade, pela igualdade no trabalho, pela democracia informada e inclusiva. Estas são questões centrais, que afectam as nossas vidas diariamente. Esta luta parte de cada um(a) de nós é de tod@s nós. Somos muitas e muitos. Somos muitas vozes, somos muitos votos. Usemos essas vozes, usemos esses votos, quebremos os silêncios, digamos NÃO.


> Seguinte...


Manifesto 2003 | Direitos Humanos: direitos para todos os seres humanos, direito à vida privada | Sair do armário? assumir a tua homossexualidade ou bissexualidade | Adopção e Parentalidade | Por um Desejo de (En)Globalização | Faltam Factos às Uniões | Fórum Social Português - Lisboa_Cidade Universitária - 7>10 Junho 2003 | 28 de Junho: Orgulho de Quê? | Comemorações Orgulho LGBT 2003 | “As lésbicas não são discriminadas” | A Transexualidade em Portugal | Amor Próprio | O Sexo da Literatura | Manifesto | Dois contos adoptados | O Meu Filho é Homossexual. E agora? | ©2003 el gêbêtê
Site realizado por PortugalGay.PT. email: info@portugalpride.org.
©2001-2022 PortugalGay.PT.